sexta-feira, 23 de julho de 2010

EVANGÉLICOS VÃO ANUNCIAR APOIO A DILMA EM BRASÍLIA

IGREJAS FARÃO ATO AMANHÃ, 24 DE JULHO, ONDE ANUNCIARÁO APOIO

A candidata do à Presidência Dilma Rousseff, da coligação “Para o Brasil Seguir Mudando”, receberá no sábado (24), em Brasília, o apoio formal dos representantes das principais igrejas evangélicas do país. Organizado pelo Pastor Manoel Ferreira, deputado federal pelo PR-RJ, o ato reunirá representantes de 15 denominações.
Apenas a Assembleia de Deus, Ministério Madureira, presidido por Ferreira, conta com seis milhões de seguidores. Será a primeira reunião do grupo com Dilma após o início da campanha presidencial. Durante a pré-campanha, Dilma já havia participado de um culto da Assembleia de Deus em São Paulo.
De acordo com a Pastora Eloá — que participa do mesmo Ministério de Pastor Ferreira —, a decisão de apoiar Dilma foi tomada porque ela representa a continuidade do governo Lula. “O presidente Lula foi bastante comprometido com o nosso segmento. Acreditamos que Dilma também terá o mesmo tipo de relação conosco.”
Segundo Eloá, uma das principais ações do governo aconteceu durante as votações do Código Civil, quando alguns setores parlamentares tentaram transformar o Estatuto de funcionamento das Igrejas em Associações — o que, segundo elas, modificaria a atuação dos evangélicos. “Isso tiraria a nossa liberdade de culto. Não somos uma associação, somos baseados em princípios teocráticos”, disse a pastora.
O evento de sábado não será um culto, mas, sim, um ato político de apoio à candidata. Ela lembrou que, ainda durante a pré-campanha, Dilma se reuniu com o pastor Manoel Ferreira e assumiu alguns compromissos com o setor. “Ela nos assegurou que, durante o seu governo, não partiria do Executivo iniciativas propondo a união civil dos homossexuais e a legalização do aborto no país”, afirmou.
De acordo com a pastora, os pedidos não significam qualquer tipo de preconceito com os homossexuais, lembrando que cada um tem o direito de escolher sua opção sexual. “Mas nós também temos o direito de lutar contra algo que não concordamos, como a possibilidade de sermos obrigados a realizar casamentos homossexuais em nossas igrejas”, completou.
Pelos cálculos da pastora, os evangélicos representariam entre 33% a 35% da população brasileira, embora os censos recentes restrinjam esse percentual a 26%. Eloá acredita que as eleições de outubro trarão um aumento na bancada evangélica do Congresso. Apenas a Assembleia de Deus Ministério Madureira — da qual Eloá e Manoel Ferreira fazem parte — conta hoje com 12 deputados federais.

Um comentário:

Moisés Jacob disse...

É lamentavel que evangelicos votem neste governo, que não nega isto a ninguém é a favor da PL 122, a favor do aborto, casamento com pessoas do mesmo sexo, fez acordo com o vanticano, e disse conforme a imprensa que, o cinema é mais importante que a igreja, que incentiva o sexo entre adolescentes quando distribuí preservativo nas escola publica para menores, criando assim um despertamento para o sexo livre, sou evangelico votei neste governo, mas não voto mais. ESSAS LIDERANÇA PROCURAM SEUS PROPRIOS INTERESSES. estamos vivendo no tempo de Habacuque, quando as lideranças politicas e religiosas não estavam nem aí para o que a palavra de Deus alertava. e hoje acham porque são pastores, podem fazer o que quizerem e nada vai acontecer, não temem nem a Deus. são alianças feitas por homem, mas reprovadas por Deus. QUE DEUS CUIDE DE SUA IGREJA, POIS A IGREJA COMO INSTITUIÇÃO TERRENA, ESTÁ NAS MAOS DE HOMENS, FAMINTOS PELO O PODER!.