quinta-feira, 25 de março de 2010

DILMA ROUSSEFF É A FAVOR DO ABORTO


"É um absurdo que não há a descriminalização do aborto no Brasil, pois esta não é uma questão de foro íntimo, mas sim de saúde pública, e precisa ser regulamentada".

Essa frase é da atual ministra da Casa Civil, excelentíssima senhora Dilma Rousseff. A opinião dela podia ser irrelevante, mas tratando-se de uma cidadã brasileira e que faz parte do governo, o que pode acontecer com essa opinião é mais grave do que se pode imaginar. Bom, isso acontece porque ela é a mulher mais cotada para ser candidata a presidenta do Brasil no lugar do atual presidente Luís Inácio Lula da Silva, índice recorde de aprovação no governo. O apoio dele para a candidatura da ministra Dilma pode ser fundamental para a conquista da eleição e, sem dúvida, dos ‘direitos da mulher’, já que a ministra é a favor da descriminalização do aborto.
Primeiro, começou com o presidente dos Estados Unidos da América, Barack Obama; agora pode ser a nossa vez de tolerar a lei assassina do aborto aqui no Brasil. O que tiver que acontecer acontecerá. Isso não quer dizer que vamos ficar de braços cruzados e esperando ela se eleger e fazer o que bem entender da vida, mas sabemos que o fim dos tempos é assim. Vamos, claro, rezar e fazer o que pudermos nas urnas para não permitir a eleição dessa mulher, que defende o assassinato de inocentes crianças.
Alguém que tem tantos conceitos de ’saúde pública’, deveria pensar não só na saúde da mulher, mas também (e principalmente) na saúde do feto, que está prestes a nascer. Não se pode pensar somente na saúde da mulher, mas na do bebê também. Não podemos matar uma criança para beneficiar essa ou aquela mulher que não quer arcar com a irresponsabilidade que o sexo fora da hora produziu a ela. Fazendo o aborto, estamos matando uma vida e deixando outra completamente vulnerável ao câncer de mama, à depressão e a outras doenças físicas e psicológicas, como mostra as últimas pesquisas sobre o assunto.
Será que descriminalizando o aborto, estamos promovendo a saúde pública? Aliás, qual o conceito de saúde para a nossa ministra Dilma? Seria matar alguém quando este estiver incomodando uma mulher, sendo esse alguém uma pessoa completamente indefesa? Seria matar o fruto de um estupro, punindo o bebê pelo crime do pai? Não sabemos. Certamente quem não sabe o que é ’saúde’, não tem os outros conceitos sociais plenamente formados. É lamentável que alguém, seja essa pessoa, criança, jovem, idosa, adulta, pobre, rica, gorda, magra, feia ou bonita apóie o aborto.
O aborto não é uma questão de saúde pública, é uma questão de morte. Se o aborto for legalizado, então, podemos legalizar também o homicídio. Por que não? Se a mãe mata seu próprio filho, quem não pode dizer que eu posso matar aquele que está me incomodando? A lei do aborto, por essas e outras conclusões, é extremamente irracional. Aliás, irracional não. Esse não é o termo. Até os seres irracionais, que são os animais, têm uma consciência mais amorosa de vida. Os pais dos gorilas, quando vêem que falta alimento para os seus filhos, dão o seu sangue para o filho sobreviver. E a mulher? Ah. A mulher faz aborto. Sabe por quê? Porque tem, assim como a ministra Dilma, um conceito muito limitado de vida e de saúde, permitindo ao homem que mate o fruto do seu amor, eliminando todas as chances do crescimento e da continuação de uma pessoa. Imaginem, caros amigos, leitores desse blog, se a mãe da ministra Dilma Rousseff quisesse abortá-la. Ela não estaria aí defendendo essa lei que, como já disse, não pode ser chamada nem de irracional. O aborto não é irracional, nem imoral, nem ilegal; é insano, é louco, é assassino, é cruel. O vocabulário que deve ser usado para um ato que foi nos últimos anos tratado com tanto eufemismo é esse e não tem outro.
Quem mata deve ir para a cadeia. Mas a saúde pública do governo quer, na sua ignorância, legalizar a morte e chamar isso de vida. Os homens perderam o senso do bom e do ruim, da vida e da morte. O que eu puder fazer para impedir que essa loucura seja legalizada, eu farei. Espero que vocês, como eleitores, façam a parte de vocês e votem direito, escolhendo a vida e a verdadeira saúde pública, aquela que promove o bem do ser humano, mesmo que esse esteja em sua fase mais primitiva.
Graça e paz, 
Everth Queiroz Oliveira

http://beinbetter.wordpress.com/2009/02/14/dilma-rousseff-e-o-aborto/

7 comentários:

Francisco disse...

Zé Serra na ultima passeata Gay de SP, Declarou abertamente quer era a favor do casamento Gay.

Francisco disse...

Serra é contra o povo Nordestino...

Anônimo disse...

dilma é contra o nordeste e falouque o nordeste fica fora do brasil. nao voto em terrorista

Joaquim disse...

Dilma é a mais nova assassina da Sociedade!!!
Por favor Brasil... NÃO VOTE NA DILMA!!!

Carol disse...

Dilma ladra, corrupta, e ainda por cima quer legalizar o aborto?????
só burro mesmo pra votar nessa cachorra sem classe!"...povo nordestino.....por favor, pensem pelo menos um vez n vida.. não pensem que a Dilm é tudo, pq ela é simplesmente NADA! .. Não vale o chão que pisa

Filipe... disse...

sobre o aborto, num Estado LAICO, Democrático de Direito, em que todos somos cidadãos, iguais perante a lei, numa República, a sua opinião religiosa não importa nada, com o perdão da sinceridade. A mulher deve ter direito a decidir sobre seu próprio corpo e ponto final.

LUIZ FELIPE disse...

Filipe, será que alguma antepassada sua não deixou de fazer um aborto por causa de preceitos religiosos?