segunda-feira, 19 de abril de 2010

A UNIVERSAL NÃO É EVANGÉLICA E NEM PROTESTANTE

 ROBINSON CAVALCANTI PÕE LENHA NA "FOGUEIRA SANTA" DA UNIVERSAL

Diante de mim vinte e seis horas de viagem, entre vôos e aeroportos, entre Recife-Guarulhos-Miami-St. Louis. Costumo ler e/ou escrever para preencher o tempo. No aeroporto compro um exemplar do livro de maior tiragem da história editorial brasileira (700 mil exemplares): "O Bispo – A História Revelada de Edir Macedo", de autoria dos jornalistas Douglas Tavolaro e Cristiana Lemos (ambos funcionários da Record), Editora Larousse.
O texto é agradável de ler, com capítulos curtos e estilo narrativo. Uma biografia "chapa branca" de um empresário bem sucedido, nos ramos imobiliário, de comunicação e eclesiástico, que mora nos Estados Unidos e tem residência nos diversos continentes, para onde viaja em jato particular.
Em 35 anos de um galpão de uma antiga funerária no Rio de Janeiro para 172 países ( 4.748 templos e 9.660 pastores somente no Brasil) e a propriedade da segunda rede de televisão em audiência.
Um oriundo da Igreja de Nova Vida, do saudoso bispo Roberto MaCalister, juntamente com o seu cunhado Romildo Ribeiro Soares (o R.R. Soares da hoje Igreja Internacional da Graça de Deus) para a criação de algo peculiar em nosso cenário religioso: a Igreja Universal do Reino de Deus (IURD).
O mais difícil no livro foi achar referências a pessoas e a obra de Jesus Cristo. Fala-se de Deus, da Igreja, do Bispo, dos Pastores. A Teologia é centrada em dois eixos: a troca entre oferta e bênção e os descarregos das entidades espirituais negativas, e só. Dentre as opiniões heterodoxas, a defesa do aborto.
Fui membro da Banca Examinadora da Dissertação de Mestrado em Sociologia da Religião, defendida pelo pastor Estevão Fernandes, da Primeira Igreja Batista de João Pessoa, na Universidade Federal da Paraíba, e fui membro da Banca do Exame de Qualificação da Dissertação na mesma área pelo reverendo anglicano Washington Franco, na Universidade Federal de Alagoas, ambas tendo como tema a Igreja Universal. Li textos e o jornal "Folha Universal". Assisti aos padronizados programas de televisão, desde o antigo "25ª. Hora".
A minha conclusão serena é que a Igreja Universal do Reino de Deus não é uma Igreja protestante ou evangélica, por não ter nenhuma relação teológica, confessional ou ética com qualquer das expressões da Reforma, mas se constitui em uma seita para-protestante (muito menos protestante do que a Congregação Cristã no Brasil), porém não uma seita para-cristã como as Testemunhas de Jeová, a Igreja Adventista do Sétimo Dia, os Mórmons ou a Ciência Cristã.
Não é uma igreja pentecostal, e não deve ser chamada de neo-pentecostal, porque além dos pentecostais serem protestantes, não há qualquer semelhança entre os dois grupos, antes posições até antagônicas. Daí o uso da expressão pós-pentecostalismo ( Paulo Siepierski), iso-pentecostalismo (sociólogos argentinos) e pseudo-pentecostalismo (Washington Franco).
O problema é que a Igreja Universal do Reino de Deus se apresenta como "evangélica" confundindo o já esfacelado e caótico quadro das Igrejas reformadas entre nós, e infiltrando suas crenças e práticas exóticas entre os nossos membros mais desavisados.
 
Ler o livro foi importante para mim, ratificando o que já percebia. A IURD é isso mesmo. Ainda vai dar muito o que falar. Ponhamos as nossas reformadas barbas no molho e ensinemos a verdade da Palavra ao nosso povo.
 
Dom Robinson Cavalcanti - Igreja Anglicana.

3 comentários:

Ricardo Oliveira disse...

Olá meu caro,

Gostaria de fazer algumas observações, se me permite.

A primeira é sobre a citação abaixo:

(muito menos protestante do que a Congregação Cristã no Brasil)

Mais adiante, vc diz que pentecostais são protestantes. Ok. Partindo-se do pressuposto que o avivamento pentecostal ocorreu no seio do protestantismo, e todas as igrejas que professam tal fé de uma forma ou outra herdaram sua eclesiologia, são protestantes, não há o que negar.
Porque então classificar a Congregação Crsitã no Brasil como "seita para-protestante"?
Vc conhece a confissão de fé deles? Olha, eu que o conheço na íntegra, posso te dizer que é mais protestante que vc imagina. Além do mais, embora ela não se classifique como pentecostal, é classificada em unanimidade como uma igreja pentecostal por todos os teólogos e historiadores, aliás, amanhã (dia 20-04-2010) ela completa 100 anos de chegada no Brasil, como a PRIEMEIRA IGREJA PENTECOSTAL a chegar neste país.
A liturgia do culto é sóbria mais é solene.É uma das poucas igrejas que preservam os câticos sacros, entoados na refordada fórma de cântico congregacional, ultimamente evitada em muitas igrejas, inclusive históricas.

Uma coisa é certa e muitos apologistas precisam entender: A Congregação Cristã não possui a matriz eclesial americana, como TODAS as outras igrejas protestantes deste país; ela possui a eclesiologia, costumes, comportamento e tradição de uma típica igreja evangélica italiana, como era em sua origem até a década de 40. Isso, talvez, a torne peculiar nas tradições, mas não na doutrina.

Quanto a classificação a IURD, eu prefiro ficar com o NEOPENTECOSTALISMO. Duvido muito que alguma outra igreja classificada como tal, se comporte de forma diferente dela. Note Renacer em Cristo, Mundial, etc.

Francisco disse...

Essa igreja anglicana, já há muito tempo quer apostatou da fé, não tem indonidade moral e espiritual, prá falar de nenhuma denominação Cristã, vão se conveter...

Ricardo Oliveira disse...

Caro Jailson,

Meus sinceros pedidos de desculpas pela grande gafe que cometi: Por um momento, quando acessei o link com o artigo, achei que o blog fosse do autor dele, não tinha reparado que o blog era teu. Mas, de qualquer forma, considere a crítica feita a ele.
Por sinal, dei um corrida no retante das tuas postagens e gostei muito, por isso estou te seguindo.

Obrigado por acessa e comentar o "Protestantismo ítalo-Brasileiro". Não tenho uma rotina de postagens, mas, sempre que posso, atualizo.
Grande abraço.